Sugestões Gerais

Para desfrutar ao máximo da máquina de costura tipo ziguezague é preciso conhecer todos os elementos necessários para se obter uma costura com o máximo de eficiência. Dentre estes elementos necessários estão os fatores técnicos e operacionais. Os técnicos referem-se a tudo o que envolve o produto, como por exemplo suas características técnicas. Os operacionais referem-se à relação do operador de costura (costureira) com o equipamento e a costura que está sendo desenvolvida.
Apresentamos, a seguir, alguns conceitos e dicas para melhor aproveitamento da sua máquina.

Linhas para Bordado

ALGODÃO
Embora não tenha tanto brilho, possui um toque agradável. O algodão é mais utilizado em logos e monogramas suaves em tecidos leves. Atualmente sua principal aplicação está em bordados PT, tom sobre tom.

METALIZADAS
A linha metálica é produzida com um núcleo de filamento sintético recoberto com uma lâmina com pigmentos metálicos. Seu brilho é incomparável, porém, como todo o material metálico, são rígidas e inflexíveis. Por estes motivos, a maioria das linhas metálicas tem desempenhos diferenciados, sendo necessária uma diminuição de velocidade de máquina e ajustes de tensão.

RAYON
As linhas de rayon são famosas pelo seu brilho. Contudo, cuidados adicionais com a lavagem deverão ser observados em função do tipo de corante empregado.

POLIÉSTER
O poliéster tem ótima solidez e é ideal para peças bordadas submetidas a constantes lavagens e tratamentos. Ele é mais forte que o algodão, o rayon e as linhas metalizadas.

Linhas Metalizadas

Enquanto os metalizados adicionam brilho e destaque ao bordado, alguns problemas podem ocorrer enquanto estamos trabalhando com eles.
Em função das metalizadas gerarem uma vivacidade durante o desenrolamento, é necessário ajustar com precisão a tensão na linha antes (e o mais perto possível) do tensor superior a fim de permitir que a linha percorra os guias e tensores subseqüentes suavemente.



DICAS PARA BORDAR COM LINHAS METALIZADAS

 Inicie com uma linha de boa qualidade.

 Use uma agulha maior - 75 ou 80 (dependendo do tipo do tecido).

 Diminua a densidade e aumente levemente o comprimento dos pontos na porção do desenho que será bordado com a metalizada.

Pode ser necessária a diminuição da velocidade de máquina

Entretelas

O tecido que se encontra na parte de dentro, entre a malha e o bordado, chama-se entretela. Ela serve para dar firmeza à linha de bordar, pois a malha sozinha não tem esta propriedade. Após a primeira lavagem, este tecido começa a se tornar maleável. Caso seja desejo do cliente, este tecido poderá ser retirado manualmente, uma camada por vez. Não se deve retirá-lo antes de lavar, pois assim evitará danos ao bordado.
A função da entretela é dar suporte ao bordado, evitando que ele se deforme ou enrugue. As entretelas podem ser retiradas por rasgo ou corte com a tesoura, sendo que a escolha por um ou outro dependerá do tipo de suporte e de bordado, como também da resistência do tecido utilizado e da quantidade de pontos de bordados.
Existem vários tipos de entretelas: para apliques, artesanatos e ou termo fusionáveis e suas respectivas gramaturas e funções. Sempre que se for utilizar em um bordado sugere-se buscar orientação técnica, pois cada bordado deve-se apenas utilizar uma folha de entretela como suporte, quando esta não for o suficiente, a gramatura ficará incorreta.

Novidade! Existe um tipo de entretela para bordado que desaparece em contato com a água. (biodegradável).




Dicas Gerais


• LINHA FRACA - Quando a linha é de má qualidade acontece de quebrar bastante pois entre outras coisas ela não tem a torção nem a concentração correta dos fios. Linha velha também quebra bastante pois já foi consumida pelos agentes naturais.
• LINHA PASSADA DE FORMA ERRADA - Se a linha estiver passada de forma errada é natural que a tensão não seja a correta e cause a quebra da linha, lembre-se que em algumas situações a linha pode sair da posição sozinha.
• AGULHA FORA DE POSIÇÃO - Se a agulha não estiver na posição correta, ou seja com o furo bem alinhado em relação à máquina, a linha poderá passar de modo inadequado pelo furo da agulha e desfiar até quebrar.
• AGULHA MUITO USADA - Conforme a linha vai passando pelo buraco da agulha, ela vai gastando o buraco e com o tempo vai se formando um vinco que desfia a linha.
• BORDADO MUITO CONCENTRADO - O ideal do desenho de bordado é que este tenha o menor número de pontos possíveis, desde que se mantenha uma boa qualidade no bordado, pois desenhos de bordado muito carregados normalmente causam muitas quebras de linha além de facilmente danificar o tecido. Pontos muito curtos também é um grande fator de quebra de linha, a solução às vezes é reduzir o número de pontos ou aumentar um pouco o tamanho do bordado na máquina.
• REGULAGEM DA TENSÃO DA LINHA - É comum devido à velocidade de trabalho as máquinas perderem a regulagem da tensão da linha, portanto esta deve ser regulada várias vezes por dia à medida que o operador notar que é necessário, tanto a linha de cima como a de baixo, isso é muito importante pois a qualidade do bordado depende muito desse fato, e ao visitarmos muitas empresas de bordado notamos que a maioria dos operadores de máquina não se importam muito com isso, mas este é um dos motivos básicos para a quebra de linha e má qualidade do bordado. .
• BASTIDOR MUITO GRANDE EM RELAÇÃO AO BORDADO - Se o bastidor for muito grande quando a agulha subir puxando a linha, o tecido sobe junto causando o mesmo resultado que o item anterior mas com o bastidor parado e só o tecido se movimentando.
• TECIDO MUITO GROSSO OU COM MUITA ENTRETELA - Quando maior for o atrito da agulha com o tecido maior é a probabilidade de a linha quebrar, procure utilizar pouca entretela e adaptar a agulha ao tipo de material a ser bordado (couro, napa, carpete, etc...).
• BORDAR MUITO RÁPIDO - Bordar muito rápido pode quebrar a linha, é verdade que se você seguir todos os itens citados aqui você poderá até mesmo aumentar a velocidade da sua máquina, mas velocidade exagerada também pode causar quebra de linha.

Como conservar sua máquina de costura

Todos as máquinas de costura necessitam periodicamente de manutenção, tanto preventiva quanto corretiva. Manutenção Preventiva, como o próprio nome diz, é aquela feita periodicamente e preventiva, buscando monitorar sistematicamente os componentes mais importantes do equipamento, visando com isso reduzir ao máximo as paradas indesejáveis durante o processo fabril. Este tipo de manutenção é pouco difundido e aplicado entre os confeccionistas e mecânicos, pois requer um planejamento constante e a disponibilidade da empresa, porém se bem aplicada poderia reduzir significativamente os custos, pois com este cuidado seria possível descobrir antecipadamente, por exemplo, possíveis peças desgastadas que no futuro provocariam problemas na máquina e providenciar, antecipadamente, os ajustes técnicos necessários. A manutenção corretiva tem caráter emergencial e ocorre no exato momento em que aparece um problema no equipamento. Este tipo de manutenção é a manutenção mais cara e dispendiosa para o confeccionistas pois ocorre no momento real de produção acarretando perda de tempo e, conseqüentemente, de produtividade.

Lubrificação, sem dúvida, uma das formas mais eficazes de prolongar a vida útil de um equipamento de costura é fazer o correto monitoramento de suas funções de lubrificação.
No caso de uma máquina de costura industrial, por lubrificação manual, tipo ziguezague 20U, sugere-se que sejam respeitadas as informações contidas no manual de instruções que acompanha o equipamento. Os equipamentos possuem alguns orifícios destinados à colocação de óleo lubrificante, sempre que se for utilizar a máquina, em média duas vezes ao dia, de preferência óleo de alta viscosidade (grosso). Há alguns tipos de engrenagens que necessitam de colocação de graxas lubrificantes, mas sugere-se, neste caso, que este procedimento seja feito com a ajuda de um técnico.

Limpeza, outro cuidado importante que devemos ter com nosso equipamento de costura é mantê-lo o mais limpo possível, pois a sujeira deixada pelos resíduos de linhas, lubrificantes, tecidos, com o passar do tempo, torna-se uma das maiores causas de quebra de peças e travamento do equipamento, pelo menos uma vez por semana, com o auxílio de ar comprimido e pincel.

Conhecer bem o equipamento é também um fator de grande influência nas atividades pertinentes à costura e à operação, portanto a reciclagem constante dos operadores de costura e o treinamento periódico resultará no melhor aproveitamento técnico do equipamento, evitando assim possíveis falhas operacionais decorrentes do mau uso do mesmo.

Agulha

Uma das menores partes integrantes da máquina de costura é, não obstante, uma das mais importantes. Em seu desenvolvimento foi empregada mais pesquisa por grama de peso do que em qualquer outro produto da moderna tecnologia.
É importante lembrar que a agulha tem um papel determinante em qualquer tipo de costura, indiferente do equipamento utilizado, influenciando diretamente na qualidade final da costura realizada, como também nos aspectos técnicos e operacionais do equipamento utilizado.
Atualmente, as agulhas para máquinas de costura são fabricadas em diversos tamanhos, formatos e acabamentos, de acordo com os fins a que se destinam. Elas possuem diversas características, as quais foram desenvolvidas e aprimoradas para atender a finalidades específicas. É necessário, portanto, conhecer bem estas características e particularidades, no momento de escolher a mais adequada ao trabalho que se pretende executar, sempre observando o tipo de equipamento, o tecido a ser costurado, a operação, o tipo de linha e a aplicabilidade.
Hoje, a Singer disponibiliza para a máquina dois tipos de agulhas que podem ser usadas: a 1955 (Tipo Reta Cabo Grosso) e a 1910 (Bordado Artesanal).

Exibições: 2558

Comentar

Você precisa ser um membro de My Fashion Bubbles para adicionar comentários!

Entrar em My Fashion Bubbles

© 2014   Criado por eddie.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço